O Ministério Infantil – MI – é um órgão da administração direta da igreja local, organizado de acordo com a faixa etária de seus participantes, que são crianças de 5 a 9 anos.

Objetivo:

Envolver e treinar crianças de 5 anos completos até completarem 10 anos no (a):
• Serviço cristão através de evangelismo pessoal, em massa e visitas a orfanatos;
• Trabalho missionário através de conferências missionárias, intercessão e contribuição;
• Participação através de ministério de cultos infantis e encaminhamento aos cultos da igreja;
• Civismo através de comemoração de datas cívicas.
Proporcionar às crianças comunhão, edificação e encontro pessoal com Cristo através de:
• Acampamentos;
• Encontros regionais;
• Escola Bíblica de Férias;
• Festivais de música;
• Campanhas evangelísticas, de oração, de aniversário e campanhas infantis paralelas às campanhas da igreja.
Essas atividades podem ser promovidas em cooperação com a Escola Bíblica Quadrangular. O envolvimento e a participação despertam vocações, formam caráter de servo e criam condições para o trabalho a Deus, no presente e no futuro.

Atuação:

De acordo com os níveis de ação, tem as seguintes atividades:
• Assistência social;
• Campanhas;
• Cultos infantis;
• Escola Bíblica de Férias (em cooperação com a Escola Bíblica Quadrangular);
• Evangelismo pessoal e em massa;
• Reuniões de treinamento e serviço para crianças;
• Serviço na igreja;
• Visitas a orfanatos.

Atividades Externas:

A – Regional
• Acampamentos;
• Encontros de diretores e orientadores;
• Encontros infantis;
• Festivais.
B – Estadual
• Congresso estadual para diretores, orientadores e coordenadores regionais;
• Comunicação constante com os coordenadores regionais;
• Encontros de coordenadores regionais.
C – Nacional
• Congresso nacional para coordenadores estaduais e coordenadores;
• Comunicação constante com os coordenadores estaduais;
• Encontro de diretores, orientadores, coordenadores regionais e estaduais.

Coordenadoria Nacional:

A coordenadoria nacional administra o Grupo Missionário de Crianças em todo Brasil, providenciando suporte para que o mesmo cresça. Seu principal objetivo é formalizar estratégias de trabalho e assessorar os líderes.
O (A) coordenador (a) nacional do GMC é nomeado pelo Conselho Nacional de Diretores para um mandato de 2 anos. Por sua vez, nomeia o (a) coordenador (a) estadual, de acordo com a indicação do presidente do CED; e os coordenadores regionais, de acordo com a indicação dos superintendentes ou diretores de campo.
Em seu perfil, devem constar: experiência clara e evidente de salvação, vocação e envolvimento com o ministério com crianças, comprometimento com Deus e Sua obra, liderança carismática, dedicação, diplomacia, consagração (vida de oração e estudo da Palavra), santificação, responsabilidade, pontualidade e assiduidade.
Seus deveres são: elaborar um programa anual de ação para o GMC, atender as convocações do Conselho Nacional, prestar relatórios a este e apresentar, ao presidente do CND, a agenda de congressos estaduais. Dentre suas funções estão: manter organizado um cadastro dos coordenadores estaduais e regionais, organizar e presidir os congressos nacionais.

Coordenadoria Estadual:

A coordenadoria estadual realiza o mesmo trabalho da coordenadoria nacional em âmbito estadual. Seu principal objetivo é reunir os coordenadores regionais e orientá-los em suas atribuições, na formação dos Grupos Missionários de Crianças, treinamento de novos líderes e planejamento do crescimento do GMC.
O (A) coordenador (a) estadual é apresentado (a) pelo Conselho Estadual de Diretores e nomeado pelo (a) coordenador (a) nacional.
Seus deveres são: atender às convocações da coordenadoria nacional, tais como congressos e encontros e, semestralmente, prestar relatório à coordenadoria nacional e ao presidente estadual. Dentre suas funções estão: promover encontro anual de coordenadores regionais; manter um cadastro dos coordenadores regionais; organizar e presidir os congressos estaduais; representar a coordenadoria nacional no Estado, implementando o programa da mesma; trabalhar em harmonia com os superintendentes ou diretores de campo, divulgando o GMC e os eventos a ele ligados e incentivar a organização do GMC nas igrejas de todo o Estado.
Sua nomeação tem validade de um ano, podendo ou não ser renovada pelo CED.

Coordenadoria Regional:

A coordenadoria regional é o elo entre o GMC local e a coordenadoria estadual. É ela quem tem contato direto com os diretores do Grupo. Sua principal tarefa é motivá-los, reunindo-os para planejamento de metas e fornecer o máximo possível de ajuda para o trabalho.
O (A) coordenador (a) regional é indicado (a) pelo superintendente ou diretor de campo e credenciado (a) pelo (a) coordenador (a) nacional, em concordância com o (a) coordenador (a) estadual.
Seus deveres são: atender as convocações das coordenadorias estadual e nacional, tais como congressos e encontros; semestralmente, prestar relatório à coordenadoria estadual e ao superintendente ou diretor de campo e, mensalmente, enviar à coordenadoria estadual 50% das taxas enviadas pelos diretores locais da região, que é 10% da arrecadação do Grupo. Dentre suas funções estão: manter o cadastro de diretores de GMC da região; incentivar a organização do GMC nas igrejas da região; manter o contato com os pastores; promover encontros para diretores e conselheiros; treinar novos diretores nomeados pelos CDL’s; promover reuniões bimestrais com os diretores do GMC da região para ministração sobre o ministério e vida com Deus, apresentação do programa de trabalho para o bimestre, cobrança de relatórios e taxas, compartilhamento de experiências; visitar os GMC’s em aniversários, campanhas ou datas especiais; promover encontros de crianças na região, acampamentos e festivais de música.
É nomeado (a) anualmente, porém, a critério do superintendente ou diretor de campo, pode ter sua nomeação renovada.